Breve história de Arita e Arita Yaki

por Sebastião Pimenta

Somenishiki
Somenishiki

Os fornos de Arita foram criados no século XVII, quando o caolim foi descoberto na regiao em 1616 pelo ceramista coreano imigrante, Yi San-Pyeong (1579–1655), também conhecido pelo nome “Kanage Sambei.” Yi San-Pyeong, juntamente com sua família de 180 pessoas, deixou a Coréia com a oferta de uma posição privilegiada no Japão. Apos a sua descoberta, seus fornos começaram a produzir a porcelana estilo coreana azul e branca, conhecidas como “Shoki-Imari.”

Em meados do século XVII, varios chineses se refugiaram ao norte de Kyushu, devido a turbulência no continente chinês, e é dito que um deles trouxe a técnica de pintura decorativa para Arita. Surgindo assim, o estilo Shoki Imari desenvolvido em Ko-KutaniImari. Ko-Kutani era produzida em 1650 para exportação assim como para o mercado interno. A porcelana azul e branca continuou a ser produzida e foi denominada Ai-Kutani. O estilo Ko-Kutani evoluiu para o estilo de Kakiemon Imari, que foi produzido por volta de 1700. Imari alcançou seu alge em termos técnicos e estético com o estilo de Kakiemon, e assim dominaram o mercado europeu. O estilo Kakiemon azul e branco é chamado de Ai-Kakiemon. O estilo Kakiemon transformou-se em Kinrande no século XVIII ( final da era Genroku 1688-1704). Este estilo, utiliza de pinturas em azul sob vidrado e o vermelho e ouro sobre o esmalte, posteriormente algumas outras cores foram intorduzidas neste estilo.
A porcelana de Imari passou a ser exportada para a Europa, principalmente devido ao fato de que os fornos chineses de Jingdezhen foram danificados durante o caos politico no final da Dinastia Ming, onde o novo governo fechou o comercio entre 1656 a 1684. A exportaçao para a Europa era feita através da Companhia Holandesa das Índias Orientais, no entanto, a designaçao de “Porcelana Imari” na Europa se referia a porecelana produzida em Arita, principalmente o Kinrande.

A exportação de Imari para a Europa parou em meados do século XVIII quando a China começou exportar para a Europa novamente, devido ao elevado custo da mão de obra, Imari não foi capaz de competir com a China. Naquela época, no entanto, tanto os estilos Imari e Kakiemon já eram tão populares entre os europeus, que os fabricantes de prcelana chineses começaram a copiar estes estilos. Estas copias receberam o nome de Imari Chines. Ao mesmo tempo, fornos europeus também tentaram copiar Imari e Kakiemon. A exportação de Imari almentou novamente no final do século XIX (era Meiji) quando o japonismo floresceu na Europa. Assim, no mundo ocidental de hoje, podemos encontrar dois tipos de Imari, os exportados em meados do período Edo e os exportados em Meiji. Mas esses dois tipos são completamente diferentes do ponto de vista de colecionadores, embora as aparencias de Kinrande são semelhantes. A Porcelana Nabeshima é outra categoria de Imari. Esta, é uma variação de Imari, produzida no forno oficial do Senhor Nabeshima somente para o uso oficial deste Senhor ao longo do período Edo. Como tal, caracteriza-se pelo seu design distinto.

Caracteristicas principais da porcelana de Arita

Kinrande
Kinrande

Existem diveros estilos de pintura decoratva e acabamento na Porcelna de Arita, o mais coneccido e difundido na Europa a partir do Século XVII é o Kinrande, que consiste em pintura com uso de cobalto em baixo vidrado e pintura sobre vidrado com uso de ouro e tinta vermelha.esta combinaçao de cores nao era vista ainda na China. Tradicionalmente a porcelna chinesa da Dinastia Ming era feita com o usos de vermelho e verde sbre vidrado o ouro ainda nao era utilizado devido à falta de conhecimento tecnico para a produçao assim como a propria escassses de ouro na China. Os motivos decorativos de Arita e Imari Yaki sao variados, florais, figurativos, geometricos e ate mesmo abstratos. A estrutura basica de alguns designs foram adotados da China, porem , muitos dos motivos sao tipicamente japoneses tendo como inspiraçao os designs dos kimonos e brocados em seda.
Com o passar dos anos, a porcelana de Arita ampliou a sua paleta de cores, o desenvolvimento tecnológico permitiu que as tecnicas tradicionais de modelagem e pintura assim como os materiais empregados na sua execução dessem maior liberdade de expressão aos artista da região.

O Estilo Kakiemon

Nishiki
Nishiki

Sakaida Kakiemon (1596-1666) desenvolveu o estilo que leva seu nome Kakiemon, a qual consiste no uso de esmaltes coloridos sobre a porcelana banca. Ate os dias de hoje ainda são usadas tradicionalmente apenas cinco cores sendo elas: azul, lilás, verde, amarelo e vermelho. A cor preta é usada apenas para as linhas de contorno. Acredita-se que Sakaida Kakiemon tenha aprendido a técnica de pintura sobre esmalte com um artesão chinês em Nagasaki em 1643, usando uma técnica desenvolvida em Kangxi – China. Ele também refinou o método de produção de esmalte transparente para uso sobre a porcelana branca. Nesta época, o Japão produzia e exportava a porcelana no estilo Ko-Imari ou Ko-Kutami cuja decoração era feita com uso dos pigmentos chineses sobre esmalte. Acredita-se que Sakaida Kakiemon serviu de inspiração par a produção de porcelana em Chantilly e Meissen na Europa.

Peças produzidas no estilo Kakiemon eram exportadas para a Europa no século XVII porem os fornos chineses de Jingdezhen iniciaram a produção de replicas no inicio do Século XVIII. Fabricas de porcelana na Europa do Século XIV também iniciaram a produção de peças inspiradas na técnica de Kakiemon principalmente em Delft (Faiança) Meissen, Chantilly, Vincennes e na fábrica de Robert Chamberlain em Worcester.

Sakaida Kakiemon XIV nascido em 1934 faleceu recentemente em junho de 2013, deixando o legado e a tradição da família para o seu filho Hiroshi Sakaida o XV da geração. Apesar de ser uma técnica desenvolvida pela família Kakiemon, tornou-se um estilo que hoje é feita por alguns artistas de Arita. Devido a problemas encontrados na produção da chamada Nigoshide ou porcelana branca extra, Kakiemon XI produziu apenas Akae ou pintura em azul e vermelho. No entanto no inicio do Século XIV seus sucessores Kakiemon XII e XII conseguiram mais uma vez reproduzir e aprimorar a técnica original.

Técnicas de Arita Yaki

Aode
Aode

Sometuke – Técnica de aplicação da tinta “Gosu” sobre a peça previamente biscoitada. Esta tinta é feita a base de cobalto, a aplicação é feita com pinceis apropriados dependendo do motivo que se vai pintar. Existia uma técnica chamada Sumihajiki na qual usava a tinta sumi para isolar partes do desenho
Ai-Kutani- Azul e branca
Ai-Kakiemon – Idem Ai-Kutani
Ko-Kutani – Uso de esmaltes coloridos sobre o vidrado, azul índigo, verde e púrpura, alem de um segundo tom de azul e o vermelho como cores suplementares- também pode ser chamado de Gosaide (uso de cinco cores)
Aode – desenhos feitos com esmaltes coloridos aplicados em toda a superfície da peça, destacando o verde e o amarelo.
Ko-Imari – Idem Ko-Kutani
Somenishiki – uso do baixo vidrado em azul e sobre vidrado com uso de cores
Akae – Pintura com uso de cores – predominando o azul e o vermelho
Nishiki – idem Akae – sua paleta de cores é maior
Kakiemon – evolução do Ko-Kutani
Nigoshide – evolução do Kakiemon em 1680
Kinrande – Uso de dourado sobre as cores – inicio no período Genroku (1688-1704)
Nabeshima – Linhas de contorno em azul baixo vidrado e cores sobre o esmalte
Foi também no Período Genroku que se iniciou o uso de fôrmas em Arita – chamado de Katamono

Publicado em etc
Publicado porSimone Chacham