Veja abaixo as dicas do ceramista Sebastião Pimenta sobre embalagem.

Acredito que vários ceramistas já tiveram suas peças danificadas durante o transporte, independente de tamanho, temperatura de queima e até mesmo a distância. Devemos sempre nos lembrar da pergunta de nossos consumidores: “Cerâmica quebra??” – quebra sim! Quebra, trinca e não dá para reciclar, exceto para mosaico ou instalações. Quando vamos transportar cerâmica devemos tomar algumas medidas extras, coisas além de simplesmente colocar em um jornal ou plástico-bolha. Vão aqui algumas dicas e coisas que aprendemos com o tempo e infelizmente com alguns prejuízos.

Estado da caixa de papelão
Estado da caixa de papelão

1 –  Escolha da embalagem

Devemos escolher uma caixa reforçada de madeira ou papelão, algumas pessoas fazem a opção por caixas de isopor que também são muito interessantes. O ideal é que a caixa de papelão tenha um engradado de madeira em volta de suas arestas e faces.

2 – Material para Embalar

Não economizar em plástico-bolha, usar bastante, proteger, as partes menores e mais frágeis com pedaços menores presos com fita adesiva. Acolchoar bem o fundo e laterais da caixa com jornal ou plástico bolha. Podem ser usados ainda, pedaços e isopor, espuma ou palha.

Conteúdo da caixa de papelão
Conteúdo da caixa de papelão

3 – Sinalização

Escrever a palavra FRÁGIL em todas as faces da embalagem, preferencialmente com caneta vermelha ou usar adesivos e fitas já com esta indicação.

4 – Nota Fiscal Avulsa

Qualquer mercadoria deve transitar no território nacional com nota fiscal. Hoje está muito fácil tirar uma nota fiscal através do site da receita federal. Uma coisa interessante é que objetos para mostras, exposições e participação em feiras e eventos assim como objetos artesanais mesmo que para comercialização são isentos de impostos e taxas.

Por fim os cacos
Por fim os cacos

5 – Declaração do Valor

Declare o valor real do objeto, pois em caso de extravio ou qualquer outro incidente você terá como recorrer.

6 – Escolha de Transportadora

Podemos fazer cotação de preço e condições de pagamento com transportadoras de nossa confiança. A própria transportadora faz a coleta e entrega do material em nosso atelier ou local indicado. Em nosso atelier temos usado com freqüência os serviços dos Correios, enviando via Sedex para dentro e fora do Brasil, todas as peças enviadas por nós chegaram inteiras em seu destino. O Correio também faz um seguro da mercadoria e em caso de uma eventual perda o seguro é pago imediatamente.

Estas dicas são simples de seguirem e evitam muita dor de cabeça. Porém ainda acontecem alguns incidentes, tomamos a iniciativa de alertar os amigos em relação a estes pontos após um infeliz acontecimento com duas de nossas peças.

Como é do conhecimento de vários, participamos do 3º Salão de Cerâmica de Curitiba, as peças retornaram no final do mês passado, chegaram a Belo Horizonte no dia 28 de outubro, desde então tenho dores de cabeça praticamente todos os dias!  As fotos mostram bem o motivo. Podemos até brincar de “Jogo dos 7 erros”.

Onde esta a sinalização de FRÁGIL? A caixa está protegida e é resistente? Tem plástico-bolha suficiente embalando as peças? Estão acolchoadas para evitar choques? Ah… já estava esquecendo…o material saiu de Curitiba sem nota fiscal e o valor declarado foi  ZERO!

Museu Alfredo Andersen e JEM Transportes se acusam mutuamente, ninguém tomou nenhuma providência em solucionar o caso.  Entrei em contato com todos os participantes do Salão e recebi até o momento 30 respostas, dentre os e-mails mais interessantes encontrei mais dois casos de peças danificadas, uma caixa com engradado de madeira pisoteada e chutado (segundo a ceramista), peças faltando. O bom de tudo isso é que percebi a indignação e solidariedade de nossa classe.

Sebastião Pimenta

Publicado em etc
Publicado porSimone Chacham

5 comentários em “Dicas de Embalagem e Transporte de Peças Cerâmicas

  1. Que absurdo o que houve com você e sua colega de profissão. Acho super legal estas dicas, mesmo que o transporte seja em apenas um quarteirão tudo pode acontecer. Ninguém sabe que minuto vai atropecar na calçada? Adorei e bjs

  2. Pois é Bettina, como viu “Cerâmica quebra” e dá dor de cabeça..rss. Enfim, aprendemos com os nossos e erros e tambem com os dos outros!
    Bjs!

  3. Gente, preciso de ajuda, não estou encontrando transportadoras para coletar cerâmica em Sergipe, alguém conhece alguma? sou do Rio de Janeiro.

Comments are closed.