A cerâmica brasileira vive um momento crítico. Desde o início deste ano, estamos sob a ameaça da perda da única mostra dedicada exclusivamente à cerâmica: O Salão Paranaense de Cerâmica, que é realizado concomitante ao Congresso Nacional de Cerâmica de Curitiba.

No Brasil temos pouquíssimos eventos desta natureza e a perda de qualquer um deles, seria totalmente prejudicial para a contínua evolução da cerâmica de atelier, já que são iniciativas deste tipo que propiciam o intercâmbio de conhecimento, a troca de experiências com profissionais de outras regiões do país e até mesmo do exterior, contribuindo assim para os avanços técnicos e artísticos. Sem contar que o Salão Nacional de Cerâmica de Curitiba sempre teve verdadeira e sadia preocupação com a preservação de um espaço dedicado a Cerâmica Tradicional Brasileira.

No último dia 15 de fevereiro, houve um fórum de discussões com o objetivo de se fazer chegar ao poder público nosso enfático interesse na manutenção deste evento. A alegação de falta de recursos financeiros não é desculpa aceitável diante da importância destas realizações.

Segundo Gilberto Narciso, um dos ceramistas presentes, “…todos foram foram unânimes: abolir um evento de tradição porque o Estado não possui dinheiro é inaceitável.O modelo que se quer estabelecer de passar para a iniciativa privada a realização do evento é uma forma de lavar as mãos e deixar todos a ver navios. O que o Estado não sabe e aqueles que estão nos cargos responsáveis também não sabem é a importância que estes eventos tem para a classe ceramista. Eles não compreenderam o alcance deste movimento e isso terá que ser esclarecido”.

Uma comissão foi criada neste encontro do dia 15/02/2011 em Curitiba, que pretende redigir um documento que será transmitido a todos os ceramistas interessados do Brasil, e mesmo de outros países, que estiverem dispostos à serem solidários participando e contribuindo com esta mobilização.

Esperamos contar com o apoio do secretário da cultura do Paraná, Sr. Paulino Viapiana, que diz que em sua gestão “haverá co­­municação e harmonia”. Que ele perceba a importância e a necessidade da continuidade destes eventos de sucesso, que ampliam a valoração das tradições, criam espaço para a diversidade de linguagens, identidade e criatividade de seu povo, incentivam o turismo e aumentam o crescimento econômico do Estado. Ou seja, tanto o Congresso, assim como o Salão Paranaense de Cerâmica contribuem para o desenvolvimento integrado da sociedade, extirpá-los seria um grande retrocesso social e cultural para o Paraná e para o Brasil.

O ceramista, Gilberto Narciso, fará constantes posts referentes a este tema em seu blog.
Vamos acompanhar e apoiar.

por Acácia Azevedo

Fonte: http://acaciaazevedo.blogspot.com/2012/02/brazilian-ceramic-art.html

Publicado porSimone Chacham