Untitled-1
Potes de Marisa Poyares

O estilo minimalista, com poucos detalhes e cores, mantém a atenção do consumidor na forma e estilo das peças. É dessa maneira que Marisa Poyares define seu trabalho como ceramista. Ela foi escolhida como uma das finalistas nacionais do Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato. “Eu fiquei muito vaidosa e feliz”, comemora.

Museóloga de formação e pintora entre as décadas de 70 e 80, a dedicação de Marisa à cerâmica teve início quando ela se aposentou, há 16 anos. Ao encerrar o trabalho no Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro, ela se mudou para Nova Friburgo, região serrana fluminense, e montou um ateliê, com espaço suficiente para a construção de um forno, onde as peças são queimadas a cerca de 1.200ºC.

No começo, era apenas um hobby. A evolução para um negócio aconteceu com a ajuda do Sebrae no Rio de Janeiro. “Fiquei nove anos apenas exercitando uma atividade prazerosa, mas os técnicos insistiram que minhas peças tinham potencial de mercado”, afirma. Animada, Marisa se tornou membro da Associação Friburguense de Artesãos e Artistas Plásticos.

No começo, a artesã calculava apenas o custo da matéria-prima e as horas de trabalho no valor final das suas peças. O talento ficava fora dessa conta. Logo depois, quando começou a frequentar o curso de Formação de Preços do Sebrae, ela percebeu o equívoco. “Vi que deixava de ganhar em torno de 45% sobre cada produto. Caí na real e agora sou frequentadora assídua das capacitações”, brinca ela.

Aos 76 anos, Marisa comercializa suas peças em cinco pontos de venda de Nova Friburgo. No ano passado, participou, com apoio do Sebrae, da Feira Craft Design, realizada em São Paulo. No evento, a artesã conquistou o olhar de diversos compradores. Mas, segundo ela, apesar de abrir novos caminhos, a oportunidade não vai comprometer sua produção cuidadosa e exigente. “Tudo tem seu tempo”, explica.

A beleza é apenas um dos componentes do prêmio Top 100 de Artesanato. Para a escolha das 100 melhores unidades produtivas do país, o júri formado por especialistas – entre designers, decoradores, comerciantes e representantes do governo ligados à cultura – também vai levar em conta o valor cultural, a cadeia de produção e comercialização e quesitos como inovação, responsabilidade ambiental e social. A cerimônia de entrega do prêmio será realizada em agosto, no Rio de Janeiro.

Ganhadores

Os vencedores terão direito a uma série de benefícios, entre eles: consultorias técnicas do Sebrae; participação em rodadas de negócios e eventos comerciais, com permissão para usar o selo TOP 100; e a oportunidade de incluir peças de trabalho em um catálogo nacional. Nessa terceira edição, o prêmio recebeu mais de 1,8 mil inscrições, entre empreendedores individuais, grupos, associações, cooperativas e micro e pequenas empresas. O Sebrae no Rio de Janeiro, com oito escolhidos para disputar a etapa final, registrou 76 inscrições e ficou em nono lugar no ranking nacional.

Fonte: Globo.com – Pequenas Empresas Grandes negócios – Agência Sebrae
Prêmio TOP 100 de Artesanato seleciona ceramista carioca.

Publicado em etc
Publicado porSimone Chacham